Novidades
recent

Aprendendo - A interessante "Teoria dos Jogos"


Você já ouviu falar na "Teoria dos Jogos"? Não, não estamos nos referindo á teorias da conspiração. Leia mais sobre esse incrível fundamento que se aplica em muitas áreas do conhecimento - inclusive nos jogos que você provavelmente está jogando agora.



Meu nome é Felipe, tenho dezessete anos e estou cursando Análise e Desenvolvimento de Sistemas. E sim, eu sou um dos criadores dos conteúdos que vocês veem por aqui. Sou um entusiasta de videogames e os aprecio como uma verdadeira forma de arte, . 

Recentemente, enquanto estava na faculdade, toquei no assunto sobre o desenvolvimento de jogos com um professor e este recomendou um site onde você pode acessar gratuitamente e participar de cursos de faculdades renomadas sem gastar um único centavo. A maioria dos cursos estão em inglês, logo, é essencial que você tenha certo domínio da língua. Apesar disso, existem alguns poucos cursos em português.

Navegando por esta plataforma, chamada de Coursera, fui indicado a me inscrever em um curso da Universidade de Tokyo chamado de "Bem-vindo a Teoria dos Jogos". Inicialmente, acreditei que se tratasse sobre algo relacionado ao desenvolvimento de jogos, mas vai muito além do que eu imaginava.

A origem


Antes de nos aprofundarmos sobre o que se trata a Teoria dos Jogos, é importante apresentarmos o mestre louva-deus que a idealizou: John Von Neumann, um matemático que foi o pai da computação e provavelmente uma das pessoas mais inteligentes que já andaram sobre a Terra. 

Ao pensar cientificamente sobre tudo o que estudava, Von Neumann percebeu que não havia uma forma de calcular o comportamento das pessoas sobre certas circunstâncias. A partir disso, provavelmente ele pensou: "Existe alguma forma de calcular comportamentos a partir da matemática?"

Parece complicado, não é? Bem, no fundo tudo depende da complexidade do caso que você está analisando. Mas como diria "Jack, O Estripador", vamos por partes.

John então percebeu que em qualquer relação ou competição, há três pilares principais:

I - Jogadores (pessoas que participam da situação)

II - Estratégias ou comportamentos

III - Recompensas

Logo, ele concluiu que todo tipo interação que já existiu pode ser interpretado como um jogo de cartas: sempre haverá jogadores, que estão sujeitos a realizarem estratégias diferentes para obterem o sucesso. Então, ele elaborou outras duas regras:

I - Jogadores sempre tentarão o melhor para se darem bem.

II - Todos os jogadores estão sujeitos a certas regras, de acordo com a situação.

Então aí temos a definição da Teoria dos Jogos - que tem esse nome pois compara todo tipo de atividade competitiva com um jogo ou uma brincadeira. Simples, não?

Ta, mais qual o uso disso?

Ok então, prepare pra se assustar: a Teoria, mesmo não sendo algo concreto, pode ser usado em todas as áreas possíveis. Para que você entenda melhor, vamos usar um exemplo que esteja dentro dos próprios videogames.

Em todo e qualquer jogo que você jogue, você pode perceber que você é um jogador e que está competindo direta ou indiretamente com alguém ou com a própria máquina. Considerando isso, pode-se haver uma infinidade de jogadores, logo temos:


Jogadores = {1, 2, 3, 4... N}

Agora vamos para as estratégias ou comportamentos - basicamente, as maneiras como você joga o jogo. Mas existem diversas maneiras que os jogadores irão usar. Então, um princípio aparece para simplificar o cálculo: cada jogador sempre irá optar pela melhor estratégia possível.

Assim, fica mais simples de se estimar o que cada um irá fazer. Após essa etapa temos que identificar cada reação provocada por cada estratégia. Quanto mais eficiente a estratégia, melhor a recompensa.

Com isso, chegamos a outro tópico: a melhor estratégia para determinado jogador depende no que os outros jogadores fazem. Se você está em uma partida de Call of Duty, é fácil notar que a rota do mapa que você vai seguir depende na qual seus inimigos seguem. É melhor contornar a decisão deles e tirar proveito, ou seguir os mesmos passos para ser pego em uma emboscada e virar uma peneira de balas? A resposta é óbvia.


A utilidade da Teoria nos videogames

Chegamos na parte onde muitos queriam: o que isso ajuda no desenvolvimento ou mesmo na hora de desfrutar de um jogo? 

Primeiramente, jogos onde você enfrenta a inteligência artificial são totalmente baseados nisso. Alguns aí provavelmente até perceberam isso antes de eu citar, não? Com a Teoria dos Jogos, podemos calcular as chances de sucesso em estratégias e decidir qual a mais proveitosa. Você com certeza irá dizer "Ah, cara, mas ninguém faz isso. As decisões são óbvias". Bem, óbvias para nós. Já parou pra pensar em como a máquina (ou bots) pensam em suas estratégias?

Calcular o comportamento humano é difícil - pois nós podemos contornar certas regras ou inventar novas estratégias (malditos hackers!), mas a máquina não é capaz de fazer isso. Partindo do pensamento de que a máquina replica ações que algum desenvolvedor introduziu, ela sempre repetirá as mesmas ações. Assim, é correto dizer que podemos premeditar o comportamento dos inimigos nos jogos com base em cálculos.

Vamos lá: você está jogando Dark Souls e enfrentando um chefe extremamente difícil - ás vezes você até pensa que ele é mais inteligente que você (ou talvez seja?). Mas, no fundo, ele sempre estará repetindo ações que ele calcula serem mais proveitosas e que vão lhe garantir vantagem. Dentro do videogame, entretanto, tanto você quanto a máquina são jogadores sujeitos ás mesmas regras e tem quase o mesmo conjunto de movimentos. Ou vai dizer que você consegue inventar um movimento novo dentro do jogo? Claro que não.

Aí entra a Teoria: você pode de certa forma averiguar quais estratégias e movimentos seus podem tirar mais proveito do movimento da máquina. Você sempre terá a vantagem de não seguir movimentos premeditados, enquanto a máquina repetirá a mesma sequência. Agora entra a parte mais interessante da coisa:

Em um caso humano contra humano, ambos estão sujeitos aos mesmos movimentos e regras dentro de um jogo virtual.

Isso! Você pode até premeditar os ataques em uma partida online! Tudo usando nada mais, nada menos que o poder da matemática. Dentro do jogo, apesar das diversas estratégias, elas sempre estão sujeitos ao jogo em que estão. Ninguém pode inventar um salto duplo carpado ou uma arma nova. Tudo está ali pronto e imutável para que você calcule as melhores estratégias. Vale notar que isso só se aplica com tanta eficácia dentro do mundo virtual, pois em nossa realidade não podemos prever tudo o que uma pessoa pode fazer. 

Conclusão

Além de mostrar a recém-aprendida Teoria dos Jogos (que eu sei que provei pra você que é legal, né?), aproveitei para fazer uma breve apresentação e mostrar os usos dela dentro do desenvolvimento e da própria maneira de encarar os jogos - sejam eles para PC ou consoles, portáteis ou celulares. Tirar proveito dos seus inimigos usando a ciência é a coisa mais bacana do planeta.

Muito obrigado pela leitura e por estar acompanhando os textos de nosso blog. Você também é uma parte dessa comunidade. Comente aí o que acha sobre a Teoria e se você a usaria!

Se você apreciou esse artigo, não se esqueça de compartilhar e opinar nos comentários e em nosso fórum! Erramos em alguma coisa? Há algo mais a ser implementado? Comente!

Game Detonado

Game Detonado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tecnologia do Blogger.